Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Ébola, o novo negocio das farmacéuticas
22/08/2014Marcos Roitman Rosenmann
Son miles os africanos mortos nas augas que bañan as costas de España e Italia ou ven como son reprimidos cando tratan de saltar os muros con aram...
A necesidade do salario máximo
22/08/2014Vicenç Navarro
O gran crecemento das desigualdades débese ao enorme crecemento da concentración da riqueza e das rendas nunha minoría da sociedade que deriva o...
De Ferguson ao Iraque
22/08/2014Ângelo Alves
Em Ferguson explodiu uma guerra social ditada por uma política de classe que usa o racismo, a xenofobia e a repressão para manter o poder das clas...
Ucrânia na curva da História
22/08/2014Hugo Janeiro
A promessa da adesão da Ucrânia à UE com a pompa de um estado-membro de pleno direito está por calendarizar, mas a política de rapina não espe...
Em defesa das revoltas de Ferguson nos EUA
21/08/2014Robert Stephens II
Vivemos num contexto de supremacia branca e de capitalismo neoliberal onde as políticas racialmente neutras estão a ser utilizadas para manter a e...
Acusemos Israel
21/08/2014Boaventura de Sousa Santos
América Latina: débeda e protesta social
21/08/2014Luis Britto García
economía
7/11/2013 Enric Llopis // Rebelión
A realidade económica interprétase oficialmente a partir de diferentes “mantras”. Un deles é que o sistema público de pensións non é sostíbel polo desequilibrio entre cotizantes á seguridade social e cidadáns con dereito a unha pensión. Agóchase, outra volta, que calquera “reforma” ou recorte obedece a criterios políticos e ideolóxicos que adoitan esconderse baixo razóns tecn...
7/11/2013 Umberto Martins // Vermelho
Vivemos ainda sob o signo de uma das maiores crises da história do capitalismo, equiparável à Grande Depressão iniciada em 1929 nos Estados Unidos. A atual também começou nos EUA, no final de 2007, logo contagiou o resto do mundo e teve forte impacto na Europa.  A classe trabalhadora é, de longe, a sua principal vítima. Em contraste, os mais ricos, os bilionários, embora responsáve...
5/11/2013 Vicenç Navarro
É urxente que se abra un debate no Estado español sobre o mérito ou demérito de saír do euro. Neste aspecto, é criticábel que apenas exista debate sobre este tema. Mesmo en amplos sectores de esquerda apenas aparecen artigos que cuestionen a permanencia do Estado español no euro. A aplicación das políticas neoliberais promovidas pola Troika (o Fondo Monetario Internacional, FMI, a Comis...
A zona em que o Euro foi imposto como moeda única hoje está claramente em dificuldade profunda, ameaçadora, provocando entre as populações inquietações gravosas. Generaliza-se a exigência de nos desembaraçarmos do fardo de pressões associados ao Euro.  Chegou o momento de olhar de frente as causas desta situação. Estas ultrapassam amplamente as origens que são geralmente admitid...
25/10/2013 Vicenç Navarro
O traballador alemán ten máis en común cos traballadores dos países GIPSI que co seu establishment financeiro e exportador. E nos países periféricos deberían seguirse tamén políticas de estímulo, revertendo as políticas de austeridade que están contribuíndo á recesión, ademais do malestar das clases populares, políticas ás que se opoñerán os axentes do capital, pois estes verán...
Tanto a natureza conservadora e não democrática da UE como o papel imperial da Alemanha tornaram-se perfeitamente claros desde o irromper da crise da eurozona três anos atrás, quando a Grécia, com seu elevado défice orçamental e dívida pública inchada, foi excluída dos mercados internacionais de crédito procurou refúgio num acordo intermediado pela UE e o Fundo Monetário Internacional...
21/10/2013 James Petras // resistir.info
20131021_eeuu_acordo.fiscal.jpg
Os beneficiários principais e imediatos do aumento do tecto da dívida são os ricos, possuidores de títulos; os beneficiários a médio e longo prazo são os construtores do império militar e de inteligência que podem continuar a obter mais de US$700 mil milhões por ano de verbas do orçamento. Os principais perdedores estratégicos da elevação do tecto da dívida serão as centenas de mil...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com