Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
De novo o Iraque
26/06/2014Albano Nunes
De novo o Iraque. De novo um misterioso bando de «terroristas», semeando a morte e a destruição. De novo a orquestração de dramáticos apelos ...
Suplementos territoriais nos recibos eléctricos
26/06/2014Fernando Branco Parga
O Tribunal Supremo vén de sentenciar que nas peaxes do sistema eléctrico se deberían incluír os diferentes suplementos territoriais. Efectivame...
O destino do Iraque
20/06/2014Luís Carapinha
Aferrados a uma ordem económica injusta e decadente os EUA prosseguem a cavalgada de fragmentação de territórios e destruição das soberanias ...
A outra cara do Mundial de Fútbol
20/06/2014Vicenç Navarro
A gran pobreza do sector público no Brasil, xunto coas exuberantes riquezas, explica a explosión social. De aí a enorme protesta, que non é a pr...
Europa: alternativas à crise
17/06/2014Éric Toussaint
Repartir de outra maneira a riqueza produzida constitui a melhor resposta à crise. A parte destinada aos assalariados nas riquezas produzidas baixo...
As eleições na União Europeia
16/06/2014John Catalinotto
capitalismo
17/6/2014 Umberto Martins // Vermelho
A crise vem sendo usada como pretexto pelos capitalistas para retirar direitos e reduzir a participação da classe trabalhadora na renda que eles próprios produzem e da qual acabam alienados em função da forma com que o capital organiza e dirige o processo de produção e distribuição da riqueza O sistema capitalista internacional ainda não logrou superar a crise iniciada no final de 2007 ...
Os documentos da troika são insultos à dignidade do país e do seu povo. As políticas da troika são o programa das políticas de direita: Portugal ser um país cada vez mais subdesenvolvido. Os próprios avanços tecnológicos em certas atividades, subsistem na base com baixos salários e precariedade. Mesmo isto a troika acha que é demais. Se os povos da Europa não se levantarem, os bancos ...
2014056_robot.workers.jpg
Entre suas propostas de desregulamentação, o neoliberalismo colocou forte ênfase na “flexibilização laboral”. Por trás dessa palavra atraente - assim como a de “informalização” – o que se esconde é a precarizacao das relações de trabalho, é o trabalho sem carteira de trabalho. Esta foi uma das transformações mais importantes pregadas pelo neoliberalismo. Junto a ela promo...
Há políticas que podiam melhorar coisas no curto prazo, incluindo regulamentação do sistema financeiro, redistribuição do rendimento e da riqueza em favor dos trabalhadores e expansão da despesa pública. Por este meio, poder-se-ia esperar recuperação, melhoria de padrões de vida e que a arrecadação fiscal ascendesse equilibrando a contabilidade do estado. Mas o desafio real é alcanç...
3/4/2014 Vicenç Navarro
As causas das desigualdades son políticas e teñen que ver predominantemente co grao de influencia política que os propietarios do capital teñen sobre os Estados. Canta maior é a súa influencia, maior é a desigualdade social. As desigualdades na meirande parte de países das dúas beiras do Atlántico norte, Norteamérica e a Unión Europea, medraron enormemente, alcanzando uns niveis nunca ...
A nova división europea do traballo explica e promove a progresiva destrución dos modelos sociais estatais auspiciada pola troika e inmediatamente perceptíbel en dous ámbitos fundamentais: a flexibilización dos mercados de traballo (en concreto, mediante a rebaixa da tutela da estabilidade no emprego e a depreciación do custo da man de obra) e a redución da protección social, en particular...
A verdadeira explicación do estancamento nos salarios radica nunha transformación radical da estrutura institucional do réxime de acumulación de capital a escala mundial. É dicir, o estancamento salarial está máis vinculado á loita de clases que a calquera outro factor. O capitalismo nútrese de emprego asalariado e declara a súa guerra sen cuartel ás formas de vida que non están somet...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com