Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
As ajudas massivas dos bancos centrais aos grandes bancos privados
29/08/2014Éric Toussaint
A partir de 2007, os governos e os bancos centrais dos países ocidentais mais industrializados, mergulhados na maior crise económica desde os anos...
Ucrânia: derrota e perspectiva
29/08/2014Jacques Sapir
A insurreição não será esmagada militarmente. Deste ponto de vista, a insurreição venceu. Kiev não dispõe mais de reservas suficientes para...
A fúria do Imperador: o caos tomará o mundo!
29/08/2014James Petras
Reina o caos em África, no Médio Oriente, na América Central e em Detroit. Toda a fronteira dos EUA com o México se tornou um centro militar de ...
Sete argumentos contra a Renda Básica Universal e a favor do Traballo Garantido
28/08/2014Eduardo Garzón Espinosa
Moito mellor que outorgarlle un ingreso fixo a todos os cidadáns é outorgarlle o dereito a traballar se así o desexan (se non o desexan ou non po...
A épidemia de ébola: Unha mostra máis da crise sistémica do capital
28/08/2014África Pineda
A epidemia de Ébola é unha mostra máis desta grave crise mundial do sistema capitalista que quere -e non pode- saír da lameira para seguir co co...
O novo futuro de Palestina
26/08/2014Txente Rekondo
Ofensiva global NATO
26/08/2014Manlio Dinucci
Ébola, o novo negocio das farmacéuticas
22/08/2014Marcos Roitman Rosenmann
Unión Europea
Se os gregos abandonassem a zona do euro ou se fossem expulsos, despencaria uma catástrofe sobre a Grécia e um terremoto grave ou muito grave para os 16 países restantes da zona do euro. Bancos franceses e alemães, entre eles algumas instituições suíças, perderiam dinheiro. O que mais inquieta, sem dúvida, é a esperada reação de pânico dos mercados, porque o “risco de contágio” ...
17/11/2011 Ilda Figueiredo // Avante
20111119_portugal.europa.crise.jpg
Utilizando uma autêntica estratégia da aranha, o capital europeu foi construindo a sua teia, envolvendo cada vez mais os governos e partidos subservientes, da direita conservadora e da social democracia, até apanhar as suas presas na teia de dívidas e compromissos, o que lhe permite, agora, apoderar-se do património e da riqueza dos países de economias mais frágeis, transformados em autênt...
O primeiro ministro grego, Georges Papandreou, anunciou a proposta de realizar um plebiscito no país em janeiro, sobre a aceitação do pacote acertado na semana passada para estabilizar o euro. Houve uma chuva de críticas ao primeiro ministro grego, a começar pelos conservadores em seu próprio país. Além disso, a euforia que as bolsas manifestavam com o anúncio do pacote e a perspectiva da...
Grecia está nun punto no que debe decidir se prefire unha morte vagarosa no seo do euro ou unha operación cirúrxica rápida que lle permita recuperar a saúde logo dun período de convalecencia que sempre será inferior á duración da agonía que tan xenerosamente ofrece a troika.  O domingo reuníase en Bruxelas o Consello Europeo para non chegar a máis conclusión para resolver a cris...
28/10/2011 Pedro Guerreiro // Avante
A agudização da crise sistémica do capitalismo, com as suas consequências e dinâmica – marcada por contradições, conflito parcial de interesses e desconfiança, mas igualmente pela procura de compromisso entre as principais potências capitalistas –, assim como a dramatização que intenta criar as condições para a imposição e aceitação das medidas em gestação contra os trabalha...
17/10/2011 Alex Callinicos // Rebelión
Hai un par de semanas, o economista Paul Krugman dixo que estaba "á vez aterrado e aburrido" pola crise da eurozona. Sei o que quere dicir. Por unha banda, un estudo realizado polo banco suízo UBS estima que se a zona euro se derrubase, unha economía forte como Alemaña perdería entre un quinto e un cuarto da súa produción no primeiro ano.  Doutra banda, a Unión Europea (UE) estase m...
4/10/2011 Frei Betto // Vermelho
Lembram-se da Europa resplandecente dos últimos 20 anos, do luxo das avenidas do Champs-Élysées, em Paris, ou da Knightsbridge, em Londres? Lembram-se do consumismo exagerado, dos eventos da moda em Milão, das feiras de Barcelona e da sofisticação dos carros alemães?  Tudo isso continua lá, mas já não é a mesma coisa. As cidades europeias são, hoje, caldeirões de etnias. A misé...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com